Strawberry Land: Facebook e Microsoft se unem pelo cabo submarino mais rápido da história

30 de maio de 2016

Facebook e Microsoft se unem pelo cabo submarino mais rápido da história


Investir em cabos submarinos de internet tem sido uma grande parte da estratégia para gigantes de tecnologia nos últimos anos. Agora, a Microsoft e o Facebook estão se unindo para um cabo monstruoso: 6.600 km que podem transportar 160 terabits (20 TB) por segundo, tornando-o o cabo de maior capacidade na Terra. O MAREA começa a ser instalado ainda este ano.

A Microsoft anunciou no ano passado que precisaria de um cabo desses para ajudar a canalizar o crescente fluxo de dados na nuvem de seus clientes. A parceria com o Facebook faz sentido: a rede social temos mesmos desafios de dados, e pode ajudar a pagar parte dos custos deste projeto.

O cabo também ajuda a enfrentar um dos maiores desafios com esses tipos de projetos de infraestrutura de internet. A maioria dos cabos transatlânticos que atualmente servem os EUA desembarcam em Nova York e Nova Jersey. Se algum desastre afetasse a região – ataque nuclear, terremoto, até uma âncora de navio (sério) – isto poderia causar problemas na internet também.

A necessidade de se diversificar geograficamente é uma das razões pelas quais o cabo MAREA vai partir de Virginia Beach, chegando até Bilbao (Espanha). Talvez por isso, a Microsoft também está investindo em um cabo submarino para atravessar o Oceano Pacífico, e conectar os EUA à Ásia.

Empresas de telecomunicações costumam financiar estes tipos de cabos, mas elas estão sendo rapidamente ultrapassadas – tanto em comprimento como em capacidade de dados – pelas empresas de tecnologia. Apesar de vários cabos serem mais longos (como o SEA-ME-WE-3 de 39.000 km, que liga duas dezenas de países), o MAREA tem oito pares de fibra, enquanto muitos cabos só têm dois.

Este cabo de 160 Tbps também terá mais que o dobro da capacidade de um novo cabo de 60 Tbps financiado pelo Google – chamado, ironicamente, de FASTER (mais rápido).

O MAREA será construído e operado pela Telxius, braço de infraestrutura da espanhola Telefónica, que usará parte da capacidade para servir seus próprios clientes. O cabo será concluído em outubro de 2017 e ficará pronto para manter a nuvem Azure e as fotos do Facebook.